sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Bem-me-quer, malmequer


Bom, hoje o Talvez Útil, tentará abordar um tema, aparentemente simples, mas muito complexo e contraditório na realidade: Margarida - (Bellis perenis).
É um nome e uma flor que gosto bastante. Quem nunca destroçou as pobrezinhas querendo saber se fulano ou ciclana quer ou não quer? Coitadas!

Ela, a flor, pertencente à família Asteraceae, e, portanto, parente dos girassóis, crisântemos, entre outras e não é uma só flor, mas a reunião de muitas flores.
Tente examinar a margarida aproximando-se bem dela. Você verá que há ali reunidas dois tipos de flores: umas formam o miolo amarelo, enquanto as outras formam a borda esbranquiçada. Mas não pense que elas crescem assim juntas apenas para que possamos admirar sua união.
Essas flores têm funções biológicas importantes quando unidas, como a de produzir néctar, atrair polinizadores, além de gerar e receber pólen. Para isso, se dividem para desempenhar essas diversas “tarefas”. Muitas começam a desabrochar das extremidades em direção ao centro, assim, enquanto as flores da periferia estão na fase feminina - durante a qual são capazes de receber pólen -, as flores mais centrais estão na fase masculina - na qual liberam seu próprio pólen. Quando muitas flores estão assim reunidas, chamamos de inflorescência.
Encontram-se em regiões tropicais, subtropicais e temperadas, vegetando nos mais diversos habitats.

Seu nome em Inglês (day eye) sugere que era destinada a cura de problemas nos olhos. Assírios acreditavam que, se você esmagasse margaridas e misturasse com óleo você poderia colocar a mistura em seu cabelo branco e ativar a sua cor novamente. Nos tempos anglo-saxônicos, a margarida foi utilizada como medicamento, mas exigia que se dissesse palavras mágicas para torná-la eficiente. Era recomendado também que se adicionasse um pouco de "água benta". No século XIII eram usadas para limpar feridas, baixar febre e tratar gota.
Existe uma certa lenda que diz que se pegar uma margarida colocá-la em infusão com vinho e dá-la a um enfermo para beber e ele vomitar, vai morrer da doença, se não, ele vai viver.

Esta bela flor também é o nome de belas mulheres e deu nome a um personagem muito famoso da Disney. Dayse em inglês e Margarida em português e a simpática patinha namorada do Donald.

O que é ser Margarida: Muito ligada à família e emotiva, costuma exagerar nos seus cuidados e corre o risco de sufocar as pessoas que ama. Tem muita energia e por isso deve sempre manter-se ocupada com alguma coisa. Nos relacionamentos amorosos ou mesmo de amizade, quando se magoa, procura se recolher para dentro de si e só sai quando recebe um pedido de perdão. Um bom conselho seria aprender a controlar seu temperamento e deixar as pessoas que ama mais na delas.

Verdade ou não, é um belo nome.
.

3 comentários:

thayze darnieri disse...

... antes de qualquer coisa, bela imageem!

então, pra variar não sabia metade das coisas! principalmente, as caracteristicas medicinais.

engraçado, não imaginaria nuunca qe o assunto dessa semana era a margarida.

railer disse...

lembrei do 'tapa na pantera'... hehehe 'como é mesmo o nome daquela florzinha?... humm.... margarida! margarida, traz um café por favor!' hahahaha

Osório Filho disse...

Realmente a margarida parece a reunião de várias flores. Interessante saber disso.
Será que todas as flores são assim também???
:O